Mahara

Me diga a verdade, o que você sente ao ver esta fotografia? 

E se fosse você nela, como estaria vestida?

Quero te convidar para uma experiência diferente de qualquer fotografia que tenha feito, uma atmosfera de arte! 

Sinta o sol tocando sua pele por entre as árvores. Os pássaros que arrulham invisíveis no verdejante cenário caloroso de verão. 
A grama que pinica os pés descalços, não incomoda a conexão refeita com a natureza nesta tarde de auto contemplação.

No frescor da relva acomodar-se para continuar aquela leitura que a tanto se faz postergada se torna um alívio para alma empaturrada de eletrônicos. 


Um momento próprio de satisfação se reflete na água escura do poço já antigo e inseguro, mas que ainda produz um ótimo chá. 



Quando a brisa lhe sopra os flocos de dentes-de-leão é lindo de ver como cintilam sob a luz avermelhada do sol poente. 


No sopro veraneio o sussurro frio do arauto noturno anuncia o crepúsculo. Mais um dia se vai e por consequência, você gastou mais um dia. Ou viveu mais um dia?



Caro leitor, viva esta experiência: Carpe Diem